top of page
  • Foto do escritorDra.Larissa Toyufuku

Principais causas de paralisias em cães

Atualizado: 1 de nov. de 2022




Com certeza a paralisia é um dos temas que mais assustam os tutores de pets, uma vez que ela leva a perda da independência motora deles, que muitas vezes não é reversível e está associada a dores e complicações genitourinárias.


Primeiramente, é importante entendermos que existe uma classificação para animais que não conseguem andar, de acordo com a localização e a gravidade:


  • Paraparesia ambulatória: quando o animal ainda consegue caminhar, mas com dificuldade e fraqueza nos membros pélvicos;

  • Paraparesia não ambulatória: quando o animal tem os movimentos dos membros pélvicos presentes, porém, não consegue caminhar sem ajuda;

  • Paraplegia: quando o animal perde totalmente a movimentação voluntária dos membros pélvicos;

  • Tetraparesia ambulatória: quando o animal ainda consegue caminhar, mas com dificuldade e fraqueza nos 4 membros;

  • Tetraparesia não ambulatória: quando o animal tem os movimentos dos 4 membros presentes, porém, não consegue caminhar sozinho;

  • Tetraplegia: quando o animal perde totalmente a movimentação voluntária dos 4 membros.



Mas afinal de contas, o que pode levar um cão a paralisar?




As paralisias podem acometer cães de todas as raças, idades e portes, e devido a causas variadas, desde traumas medulares, como em acidentes automobilísticos por exemplo, até por doenças infecciosas, inflamatórias, vasculares e degenerativas que afetem o sistema nervoso. Intoxicações, doenças autoimunes e neoplasias medulares também podem levar à perda da função locomotora dos membros.


Entre as principais podemos citar:


Hérnia de disco


A causa mais comum de paralisia em cães, ocorre devido à degeneração e/ou inflamação dos discos intervertebrais da coluna, o que provoca uma compressão local da medula espinhal, cursando com dor e sinais neurológicos variados, de acordo com a localização, gravidade e tipo da hérnia de disco.


Traumas


Quedas, pancadas, acidentes e atropelamentos, são responsáveis por causar contusões, concussões ou secções medulares, assim como subluxações, luxações e fraturas vertebrais. Normalmente ocorre em cães de rua ou aqueles que têm livre acesso a ela sem guia.


Cinomose

Extremamente contagiosa, essa doença infecciosa pode ser fatal. Afeta o sistema digestório; cardiorrespiratório e o nervoso, causando lesões multifocais e sinais neurológicos variados como convulsões e até tetraplegia.

Tumores

Podem ser de origem primária ou metastática, são classificados como extradurais, intradurais/ extramedulares e intramedulares. O tratamento e o prognóstico dependerão do diagnóstico, da localização e do tempo de evolução.

Embolia fibrocartilaginosa

Quando há um bloqueio no fornecimento de sangue, geralmente causa uma paralisia temporária.

Tetraparesias flácidas

Doenças que acometem os nervos periféricos e as junções neuromusculares, causando fraqueza progressiva e perda da função motora funcional. Podemos citar a polirradiculoneurite, o botulismo, a miastenia gravis e a mielopatia degenerativa.


E quais os sintomas iniciais de uma paralisia?

  • Ela pode ocorrer de forma aguda, subaguda ou progressiva. Os primeiros sintomas podem se manifestar como:

  • Dor/ coluna arqueada;

  • Relutância em sair do lugar/ se movimentar;

  • Caminhar cambaleando/ passadas incoordenadas;

  • Caminhar raspando dígitos no chão;

  • Parar com a patinha virada para baixo sem perceber;

  • Perda de força/ fraqueza muscular;

  • Falta de firmeza das patas no chão/ escorregar;

  • Dificuldade em se levantar ou ficar em pé;

  • Desequilíbrios/ quedas espontâneas

É comum cães com lesões medulares crônicas, como na protrusão de disco por exemplo, apresentarem feridas na parte superior dos dígitos ou desgastes das unhas, isso devido ao caminhar mais “arrastado” que estes animais apresentam, pela perda de força e da propriocepção causada pela compressão medular.

Como evitar que meu animal paralise?



Além de observar sempre o seu melhor amigo e o levar no médico veterinário caso ele apresente qualquer um desses sinais descritos acima, é importante prevenir lesões futuras!

Evite que ele corra em pisos lisos e dê muitos saltos e pulos. Não deixe que ele acesse escadas e móveis altos como sofás e camas, caso não seja possível, invista em rampas ou escadas pets a fim de evitar a sobrecarga nos discos intervertebrais da coluna durante subidas e descidas.

A fisioterapia veterinária atua no tratamento e na prevenção da paralisia em cães através de exercícios específicos para fortalecimento da musculatura estabilizadora da coluna, do abdômem, do assoalho pélvico e das articulações,

E se ele paralisar?



Procure sempre um médico veterinário o mais rápido possível! Através de uma avaliação neurológica e exames complementares, o profissional será capaz de definir o diagnóstico e melhor tratamento para o seu melhor amigo, seja ele cirúrgico ou conservativo.

Em ambos os casos, a reabilitação veterinária, através da fisioterapia, da acupuntura, da ozonioterapia e outros tratamentos integrativos, será essencial para devolver a autonomia e qualidade de vida do animal!

Agende uma consulta pelo link abaixo!





Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page