top of page
  • Foto do escritorPet integra

Principais doenças cardíacas e pulmonares em pets!




A saúde cardíaca e pulmonar dos nossos amados pets é essencial para garantir uma vida longeva para eles!


Assim como para nós, o sistema cardiorrespiratório é complexo e pode apresentar inúmeras alterações e patologias, com causas e tratamentos diferentes.


No post de hoje, exploraremos um pouco mais sobre quais são as mais comuns na rotina clínica, assim como pontuar os principais fatores de risco e sinais de alerta relacionados a elas.


Doenças cardíacas



As cardiopatias podem afetar a qualidade de vida dos nossos pets de maneira significativa, por isso, é importante que nós tutores estejamos bem informados sobre os fatores de risco, as raças mais propensas e os principais sinais de alerta.


Dentre as mais comuns atendidas na rotina podemos citar:


1.Insuficiência cardíaca congestiva (ICC)


Ocorre quando o coração pára de ser capaz de bombear sangue de maneira eficiente para suprir as necessidades fisiológicas do corpo. Isso pode resultar no acúmulo de fluido em órgãos e tecidos, levando a sintomas desconfortáveis como edema pulmonar.


A ICC não tem cura, porém, pode ser gerenciada com sucesso contanto que o animal receba os cuidados adequados e siga com acompanhamento veterinário.


2.Cardiomiopatía Dilatada (CMD) e Hipertrófica (CMH)


Na CMD, o músculo cardíaco fica dilatado e enfraquecido, dificultando a eficiência da bomba cardíaca. Isso pode levar ao acúmulo de sangue nos corações e, por sua vez, a insuficiência cardíaca congestiva.


Na CMH, as paredes do coração engrossam, o que reduz o espaço para o sangue circular e também pode afetar válvulas cardíacas, dificultando o bombeamento de sangue. A CMH também pode levar à insuficiência cardíaca.


O diagnóstico dos dois tipos de cardiomiopatia envolve exames complementares como o ecocardiograma e radiografia. O tratamento pode incluir medicamentos, modificações na dieta e gerenciamento cuidadoso do exercício.


3.Valvulopatias


As valvulopatias são condições cardíacas degenerativas que afetam as válvulas do coração, comprometendo a circulação sanguínea adequada.


Elas controlam o fluxo sanguíneo para dentro e fora do coração e quando comprometidas, podem resultar em fluxo sanguíneo insuficiente ou retrocesso.


A detecção precoce é fundamental para o manejo das valvulopatias. O tratamento pode incluir: medicamentos, dieta equilibrada, exercícios supervisionados e acompanhamento veterinário.


4.Dirofilariose


Conhecida como “verme do coração”, é uma doença parasitária grave que pode afetar cães e gatos de todas as idades e raças. Os vermes adultos se instalam nos vasos sanguíneos e no coração dos animais infectados, causando danos severos ao sistema cardiovascular.


A transmissão ocorre quando um mosquito infectado pica um animal, introduzindo as larvas do parasita na corrente sanguínea. O tratamento dependerá da gravidade da infecção e dos sintomas clínicos.



Fatores de Risco:



  • Idade avançada: as doenças crônicas como as valvulopatias tendem a se agravarem com o passar do tempo;

  • Obesidade: a inflamação crônica causada pelo excesso de peso piora quadros degenerativos, além de afetar a circulação;

  • Áreas litorâneas: em áreas úmidas e quentes como o litoral, é mais comum a presença do mosquito vetor da dirofilariose (verme do coração).

  • Má alimentação e sedentarismo: baixo condicionamento físico e a falta de nutrientes adequados, afetam o sistema cardiorrespiratório.


Raças mais propensas:


Cães: Dachshunds, Spitz Alemão, Boxers, Poodles, Dobermans, Cocker Spaniels.

Gatos: Maine Coons, Ragdolls, Persas.


Sinais de Alerta:


Tosse Persistente: usualmente seca e pior no período noturno;

Dificuldade Respiratória: ficar ofegante ou com falta de ar após atividades físicas leves;

Letargia e Fraqueza: aumento da sonolência ou falta de energia;

Inchaço Abdominal: inchaço na área abdominal;

Desmaios ou Colapsos: requerem atenção médica imediata.



Doenças Pulmonares



As doenças pulmonares podem afetar cães e gatos de todas as idades, causando um impacto negativo na qualidade de vida deles e de todos ao redor.


Podem ser causadas por diferentes fatores, entre infecções, neoplasias e processos inflamatórios e degenerativos. Podemos citar como principais:


1.Colapso de traqueia


É uma condição respiratória que usualmente afeta cães pequenos e miniaturas. No colapso de traqueia, as paredes da mesma se enfraquecem e ficam menos rígidas, o que pode levar ao estreitamento da passagem de ar e dificultar a respiração adequada.


Entre os sintomas da afecção podemos citar: Tosse crônica, dificuldade respiratória, engasgos ou vômitos, letargia ou fraqueza.


2.Asma e Bronquite


São condições respiratórias que provocam desconforto e dificuldade respiratória. Por se tratarem de uma inflamação das vias respiratórias, podem ser desencadeadas por alergias, irritantes ambientais ou infecções respiratórias.


Ambas as condições podem dificultar a passagem de ar para os pulmões, causando tosse, dificuldade respiratória, ruído característico como um chiado ao respirar e desconforto respiratório.


3.Pneumonia


A pneumonia é uma inflamação dos pulmões, geralmente causada por infecções bacterianas, virais ou fúngicas. Essas infecções podem afetar os alvéolos, prejudicando a troca de oxigênio e dióxido de carbono nos pulmões.


4.Doenças Infecciosas


Doenças infecciosas, como a rinotraqueíte e a tosse dos canis, podem afetar cães e gatos, causando desconforto e problemas respiratórios.


4.1.Rinotraqueíte Felina (FHV-1):


É uma doença viral que afeta os gatos. Ela é causada pelo herpesvírus felino tipo 1 (FHV-1) e pode levar a sintomas respiratórios graves. Os gatos infectados podem apresentar espirros, secreção nasal, conjuntivite e úlceras na boca.


4.2.Tosse dos Canis (Traqueobronquite Infecciosa):


É uma infecção respiratória altamente contagiosa que afeta os cães e é causada por vários patógenos, incluindo a bactéria Bordetella bronchiseptica.


Os cães com tosse dos canis geralmente apresentam tosse seca e persistente, semelhante a um som de "latido".



Fatores de risco:





  • Idade: Cães e gatos mais velhos podem ser mais suscetíveis;

  • Exposição a irritantes: ambientes com fumaça, poluentes ou poeira podem irritar os pulmões e levar a problemas respiratórios.

  • Infecções Respiratórias: infecções bacterianas, virais ou fúngicas podem afetar os pulmões, especialmente se não forem tratadas adequadamente.



Raças mais propensas:


Alguns cães e gatos têm maior predisposição a doenças pulmonares. Entre as raças mais suscetíveis, estão:


Cães: Pugs, Buldogues, Boston Terriers, Cavalier King Charles Spaniels, entre outros.

Gatos: Siameses, Persas, British Shorthairs.



Sinais de Alerta


Tosse Persistente: tosse frequente produtiva ou não, ou pode indicar problemas pulmonares;

Dificuldade Respiratória: Respiração rápida,

curta, ofegante e/ou dificuldade para respirar são sinais de que algo pode estar errado;

Respiração ruidosa: sons estranhos, como chiados, durante a respiração podem indicar problemas nas vias aéreas.

Letargia e Fraqueza: Seu pet parece sempre cansado ou com menos energia do que o normal.

Perda de Apetite

Doenças pulmonares podem impactar o apetite do seu pet.



O acompanhamento periódico com médico veterinário especialista em pneumologia e cardiologia é fundamental para diagnosticar precocemente estas e outras afecções, tratar e garantir uma vida mais saudável e longeva para os nossos melhores amigos!


A fisioterapia veterinária e outras terapias integrativas e complementares como a acupuntura e a ozonioterapia também desempenham um papel crucial no manejo das doenças respiratórias e cardíacas em pets, atuando na recuperação, prevenção e na qualidade de vida deles.





Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page